Os Melhores do Ano 2014

Entrega dos Prémios "Os Melhores do Ano 2014"Foi na passada Sexta-feira que os prémios "Os Melhores do Ano" da Revista de Vinhos atingiram a maioridade. Muitas revistas e prémios foram surgindo ao longo destes 18 anos mas, goste-se ou não, estes continuam a ser os mais importantes do sector em Portugal. Não é por acaso que são conhecidos por muitos como os "Óscares do Vinho".

Este ano a cerimónia decorreu no Centro de Congressos da Alfândega do Porto perante uma plateia com mais de 900 pessoas. De assinalar a excelente organização que, num evento desta envergadura, não deve ser nada fácil.

Quinta das Marias

Quinta das MariasEstava a iniciar este post quando li o que o Pingus Vinicus escreveu sobre “A ausência e a má comunicação”. Nem a propósito, pois acho que a Quinta das Marias é um bom exemplo do oposto. Como se costuma dizer, a excepção que confirma a regra.

A Quinta das Marias e o seu proprietário, Peter Eckert, são indissociáveis. Não dá para pensar nos vinhos sem pensar no suiço que veio para Portugal dirigir uma companhia de seguros e que acabou, anos mais tarde, a produzir vinhos.

Na verdade, já passaram 20 anos. As primeiras colheitas, segundo o próprio, não foram propriamente bem sucedidas. Mas esses tempos já lá vão, e (especialmente) nos últimos 10 anos, as coisas têm corrido bastante bem, sendo hoje um nome muito respeitado. No Dão e não só.

Enoteca de Belém

Enoteca de BelémConhecemos a Enoteca de Belém ainda antes de existir Magna Casta. Na altura, ainda numa outra "encarnação", não nos impressionou particularmente.

Desde 2009 que tem uma nova vida, sendo parte integrante do Projecto Travessa da Ermida, mas só em 2014 é que eu e a Ema lá regressámos. Regresso tardio, pois as coisas agora estão completamente diferentes.
Quem costuma ir lá é o Ricardo, apesar de nunca ter escrito nada. Sim, merecia levar com um pau por causa disso. Mas pronto, assim as fotos até ficam melhores.

O Regresso da Quinta das Tecedeiras

O Regresso da Quinta das Tecedeiras

A dupla Lima & Smith, após a aposta na Quinta da Covela, tem estado a entrar em força noutras regiões, nomeadamente no Douro. Numa dessas investidas, ficou com a exploração da Quinta das Tecedeiras, que estava anteriormente ligada à Global Wines/Dão Sul, mas que no entanto foi "abandonada" quando a empresa decidiu deixar algumas coisas fora do Dão.

Além disso, a Lima & Smith foi também buscar Carlos Lucas para fazer os vinhos, ele que foi o "parteiro" do nascimento dos vinhos Quinta das Tecedeiras quando era o responsável da Dão Sul.

Este ano já deram à luz 2 novidades. Não ainda o nosso estimado Quinta das Tecedeiras Reserva, mas o Flor das Tecedeiras e um Porto especial, com as roupagens a terem alguns retoques em relação ao passado.

Marquês de Borba Branco 2013

Marquês de Borba Branco 2013

Nome: Marquês de Borba
Tipo: Branco
Colheita: 2013
Região: Alentejo
Castas: Arinto, Antão Vaz e Viognier
Graduação: 12.5%
Produtor: João Portugal Ramos Vinhos, S.A.
Preço: <€5

Quanto aqui falei sobre a colheita de 2011, disse que nunca tinha provado Marquês de Borba branco antes. A impressão foi positiva.

Duas colheitas e uma rega* depois a opinião mantém-se, apesar das devidas diferenças entre colheitas. Por exemplo neste 2013 junta-se algum tropical aos citrinos no aroma e não achei a acidez tão marcada.

Mas no essencial mantem o perfil ano após ano. Fresco, álcool moderado e frutado mas com final seco que o torna boa companhia à mesa.

Páginas